Educação: ressonâncias teóricas e práticas. Volume 2.

ISBN: 978-85-7993-753-8

Autor/Organizadores: Éderson Luís Silveira; Wilder Kleber Fernandes de Santana

Apresentação

CONSTANTES ATRAVESSAMENTOS: ENTRE PALAVRAS E ATOS

Wilder Kleber Fernandes de Santana (UFPB)

Éderson Luís Silveira (UFSC)

Como forma de continuidade aos textos reunidos no Volume 1, a coletânea Educação: ressonâncias teóricas e práticas, em seu segundo volume, agrega manuscritos de pesquisadores em âmbitos nacional e internacional no sentido numa tentativa de ecoar vozes silenciadas, ocultadas pelo sistema oficial.

Ao refletir sobre o(s) papel(is) constitutivo (s) dos sujeitos, uns para com os outros, assim como instâncias educacionais nos mais variados espaços geográficos e sua inserção profissional, estas escrituras celebram a viva unicidade entre a teoria e a prática. É possível averiguar, nas leituras que seguem, discussões sobre: memória autobiográfica, (in)disciplina escolar, estratégias de silenciamento subjetivo-objetivas, a linguagem que media e constitui sujeitos, métodos facilitadores para a educação via fenômenos artísticos, e sobretudo como a educação brasileira tem sido atacada sob estratégias discursivo-argumentativas na pós-modernidade.

É nessa direcionalidade que tencioamos ser orientados por um pensamento socioeducativo em que os indivíduos se tornem sujeito (de seus dizeres e da própria história), ao se reconhecerem como criadores de cultura, e um sistema que o edifique “numa postura de autorreflexão e de reflexão sobre seu tempo e seu espaço” (FREIRE, 2003, p. 44).

Palavras como atos ou atos como palavras, ambas formas vivas de concretização dos sujeitos, constituem propostas de reflexão nos dias atuais, para que possamos nos posicionar frente às estratégias de apagamento que nos são impostas: sim, constantemente somos apagados, nossas marcas culturais são dilaceradas, a educação tem sido ferida: é sobre isso que precisamos refletir.

Desde a Interdisciplinaridade (FAZENDA, 1998) à Intersubjetividade (BAKHTIN, 2006 [1979]), é preciso que as ações educativas deixem de ser mecânicas, e passem a ser atos responsáveis (BAKHTIN, 2010 [1920-24]). Esse é o coro-proposta das produções aqui reunidas, dispostas em capítulos.

Referências

BAKHTIN, Mikhail M. Para uma filosofia do ato responsável. 2ª. ed. Pedro & João Editores. São Carlos, 2010 [1924].

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Prefácio à edição francesa Tzvetan Todorov; introdução e tradução do russo Paulo Bezerra. – 6. ed. – São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2006 (1979).

FAZENDA. Ivani C. A.(org.). Didática e Interdisciplinaridade. Campinas: Papirus, 1998. – (Coleção Práxis)

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003, 27ª ed.

Deixe uma resposta