Pesquisas em educação: concepção, prática e valores

ISBN: 978-85-7993-292-2

eISBN: 978-85-7993-788-0

Autor/Organizadores: Mario Marcos Lopes; Emerson Benedito Ferreira

Apresentação

Da lavra de especialistas, mestres e mestrandos, doutores e doutorandos, a presente coletânea é produto de intrigantes reflexões dos autores, as quais encaminham o leitor a um amplo cenário no qual se pode verificar a influência das necessidades e demandas sociais por educação, pelas liberdades e pela igualdade.

A obra em apresentação consolida mais um veículo de expressão acadêmica que rompe com os liames estritamente teóricos, para apresentar contextos do cotidiano e da problemática das políticas públicas brasileiras em educação, em uma sociedade secular que luta para ultrapassar amarras paradigmáticas, indesejáveis ao avanço do pensamento que concebe a educação como um processo igualitário, justo e acessível.

É de grande mérito tecer considerações sobre os capítulos que emolduram a presente obra; muito embora a singeleza do apresentador não permita alcançar, com profundidade, o pensamento original e reflexivo de cada autor.

Não obstante, ouso em advertir ao leitor distraído de que as incomodações e divergências apresentadas pelos autores, convidam ao diálogo e a novas reflexões acerca do repensar a educação como valor social, não somente como indicador da estabilidade, mas também como medida do alcance da educação, direito fundamental, a todos os espaços e pessoas, sem distinção.

Assim, do plano emerge em relevo esta notável coletânea a qual passo, em breves notas, a comentar sua intimidade: Ana Helena Ribeiro Garcia de Paiva Lopes, em Sorria, você está sendo anestesiado! A (de)formação humana na sociedade dos “felizes para sempre, apresenta-nos uma perspectiva do consumo frenético, encomendado pela indústria cultural, como lenitivo volátil para sensações de vazio, medo e angústia, comuns na sociedade contemporânea que não aprendeu a lidar com estas circunstâncias, unicamente anestesiado pelo prazer efêmero do consumo.

O texto Leitura e autoria nas produções infantis no ensino fundamental, de autoria de Elisângela Nascimento Iamamoto, nos brinda com uma análise das primeiras produções literárias do estudante do ensino fundamental, um evento que merece a atenção dos docentes desta etapa educacional, tendo em vista que se sustenta a visão da completude da linguagem do educando, desenvolvendo posicionamentos e responsabilidades.

Em O Currículo e a seleção de conteúdos: sobre conhecer o passado e não “caminhar” no escuro, Nilmara Helena Spressola e Emília Freitas de Lima, analisaram a desenvolveram discussões acerca da reflexão sobre os interesses políticos e históricos que delinearam a seleção de conteúdos do currículo escolar.

Cinema na escola: reflexões sobre a lei 13.006, Solange Straube Stecz apresenta suas reflexões, quanto a aspectos estruturais e não estruturais, acerca da regulamentação da Lei 13.006 de 26 de junho de 2014, que acrescenta o parágrafo 8º. Ao art. 26 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro 9 de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para obrigar a exibição de filmes de produção nacional nas escolas de educação básica.

Mario Marcos Lopes e Maria Lucia Ribeiro, apresentam a Avaliação institucional como estratégia para a gestão escolar como um importante indicador para a melhoria da qualidade da gestão pedagógica e administrativa da educação básica, desde que associado ao conceito e à prática da democracia.

As pesquisadoras Paola Alves Martins dos Santos e Alessandra David em Relação entre a escola e os direitos das crianças e dos adolescentes por meio dos atendimentos do conselho tutelar de Monte Alto/SP, discutem e analisam a atuação do Conselho Tutelar da cidade de Monte Alto, no período de 2006 a 2008, apresentando a problemática em torno da evasão escolar, à luz do Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei 8.069 de 13 de julho de 1990.

Em Um estudo sobre a in/exclusão educacional das pessoas com deficiência visual em Ribeirão Preto, SP, Lígia Ferrarezi e Ludmila Ferrarezi discorrem sobre a problemática e circunstâncias que envolvem a inclusão de pessoas com deficiência visual em instituições do ensino superior privadas, no município de Ribeirão Preto (SP), contextualizando aspectos metodológicos e estruturais das instituições de ensino estudadas.

Odair Ribeiro Filho em O eu e o outro: o uso de textos epistolares no ensino de história e geografia em uma escola do ensino médio de Ribeirão Preto, apresenta uma inovadora metodologia de ensino de história e geografia, a partir de um modelo desenvolvido com alunos do ensino médio, a qual estimula o aluno a alcançar múltipla dimensões dos eventos estudados.

No texto Pequenos indesejáveis: crianças pobres e delinquentes em páginas de um periódico na Ribeirão Preto do início do século XX (1910-1918), o pesquisador Emerson Benedito Ferreira apresenta, de maneira eloquente, os paradigmas que marcaram uma sociedade indiferente às mazelas de seu entorno, especialmente em relação ao abuso e abandono relativos às crianças pobres e crianças delinquentes, as quais emergiam de sua condição ignorada apenas para figurar entre os degredados pelo poder.

Teoria crítica e investigação social empírica: alguns apontamentos metodológicos, produto de pesquisas de Ana Paula Peruzzi e Paulo Rogério da Silva, proporciona ao leitor visões acerca de linhas metodológicas para a crise na investigação social empírica, norteando a discussão para a teoria crítica, como alternativa metodológica.

Assim como eu, o leitor experimentará riquíssima discussão em entusiasmantes textos, os quais por sua diversidade e abrangência tornam a presente obra um encontro nas fronteiras do conhecimento, nos temas debatidos.

Meus sinceros cumprimentos aos autores e organizadores.

Fernando Frachone Neves[1]

1- Doutor em Ciências, Mestre em Ciências da Engenharia Ambiental, MBA em Administração de Empresas, Especialista em Direito Educacional, Biólogo e Advogado. É docente e Coordenador de cursos de graduação e pós-graduação nas áreas do Direito, Gestão Ambiental e Gestão Empresarial em instituições de ensino superior pública e privada.

Deixe uma resposta