Diálogos multidisciplinares

ISBN: 978-85-7993-816-0

eISBN: 978-85-7993-817-7

Autor/Organizadores: Tarcísio Dorn de Oliveira

APRESENTAÇÃO

A Parte I – Desenvolvimento, Tecnologias e Sustentabilidade é composta por 10 capítulos que abordam temáticas relacionadas ao desenvolvimento regional, tecnologias e sustentabilidade.

O texto “A GESTÃO LOGÍSTICA NA CADEIA DE SUPRIMENTOS E DISTRIBUIÇÃO DO SETOR SUPERMERCADISTA” de Roberto Carlos Dalongaro, Daniel Knebel Baggio e Lurdes Marlene Seide Froemming traz uma pesquisa desenvolvida na área de gestão logística, para a cadeia supermercadista, com uma amostra de 07 gestores de supermercado da Região Missioneira. O capítulo analisa a gestão logística entre fornecedores, distribuidores e o varejo supermercadista apresentando indagações sobre questões relevantes na formação dos custos logísticos para os supermercados, bem como, a importância dos elos da cadeia logística e a integração entre eles.

“CONTROLADORIA E GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA: ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS FINANCEIROS EM UMA ORGANIZAÇÃO FAMILIAR” de Edi Branco da Silva, Caroline da Rosa e Andrei Cossetin Sczmanski expõe a análise econômico-financeira de uma organização agrícola com sede na Região Noroeste do RS. O texto apresenta um processo de investigação sobre demonstrativos contábeis referente ao período de 2014 a 2018 objetivando uma avaliação da empresa em seus aspectos operacionais, econômicos, patrimoniais e financeiros como forma de propor alternativas a serem tomadas pelos gestores.

No capítulo “A SUSTENTABILIDADE SOCIOAMBIENTAL APLICADA MEDIANTE A CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL SELO CASA AZUL CAIXA EM HABITAÇÕES DE INTERESSE SOCIAL” Fernanda Duarte, Janis Elisa Ruppenthal e Marcos Rodrigues da Silva trazem a análise de conjuntos habitacionais a partir dos critérios obrigatórios estabelecidos pelo Selo Casa Azul CAIXA, visando a gradação bronze. Um checklist foi elaborado para verificar o atendimento ao estabelecido, em que os resultados obtidos pelo checklist tornaram possível verificar a percentagem do atendimento de um empreendimento quanto à documentação, critérios e indicadores.

Angela Costella Bertei em “DESIGN DO MULTI LOOK CÁPSULA: ALIANDO A MODA À SUSTENTABILIDADE POR MEIO DO VESTUÁRIO REVERSÍVEL A PARTIR DO REAPROVEITAMENTO DE PEÇAS JEANS DE BRECHÓS E DE DESCARTE POR MEIO DA TÉCNICA DE UPCYCLING” alia a moda à sustentabilidade, de modo a reaproveitar recursos, aumentar o ciclo de vida do produto, além de diminuir impactos causados pelos tecidos – como é o caso da matéria-prima jeans escolhida para a pesquisa. O texto apresenta algumas soluções e conceitos como o slow fashion, upcycling e peças reversíveis.

“ESTUDO DE SOLO LATERÍTICO DA RSC – 377 COM INCORPORAÇÃO DE AGREGADOS GRAÚDOS PARA USO EM PAVIMENTAÇÃO ECONÔMICA” de Jessamine Pedroso de Oliveira, André Luiz Bock e Paulo Murussi Soares avalia o comportamento de solos lateríticos para uso em bases e sub-bases de pavimentos econômicos como material natural ou em mistura com agregado miúdo (areia, areia industrial, pó de pedra ou resíduos miúdos) ou com agregado graúdo (brita ou resíduos graúdos). O capítulo apresenta soluções alternativas, economicamente viáveis e funcionais, que venham a somar tanto para o problema do déficit rodoviário vivenciado no Brasil, quanto para a economia da implantação de uma rodovia.

No texto “FADIGA EM MISTURAS ASFÁLTICAS” Silvio Lisboa Schuster, Gabriela Meller, Chaveli Brondani e Bruno César Silva Gonçalves discutem, por meio de uma revisão bibliográfica, como dáse o fenômeno da fadiga em misturas asfálticas, explanando-se, também, os possíveis ensaios para caracterização e os fenômenos físicos que ocorrem no material durante a aplicação cíclica de carga.

No capítulo “O DESIGN THINKING E A INOVAÇÃO COMO ASCENSÃO DO DESENVOLVIMENTO LOCAL” Barbara Gündel Mendonça e Lurdes Marlene Seide Froemming, por meio da desk research, com a finalidade de conectar conceitos e ideias, apresentam de que forma o design thinking em uma abordagem centrada no ser humano e nas observações do comportamento dos consumidores, pode ser aplicado a lojas de varejo que atuam como vetores de desenvolvimento em pequenas cidades, adotando projetos inovadores pelos seus pontos de venda.

Wlademir Leite Correia Filho e Daniel Knebel Baggio no texto “POLO INDUSTRIAL DE MANAUS – MODELO DE DESENVOLVIMENTO E PRESERVAÇÃO DA FLORESTA” demonstram que o Polo Industrial de Manaus, administrado pela Superintendência da Zona Franca de Manaus, é responsável em incentivar as indústrias nacionais e internacionais para se instalar nesse modelo de desenvolvimento econômico que, também, preserva a Floresta Amazônica e atua de forma sustentável, social e economicamente identificando potencialidades regionais e criando condições para transformá-las em oportunidades de negócios.

No texto “PROPOSTA DE UM MÉTODO DE ABORDAGEM PARA O PROGRAMA 3S” Fernanda Duarte e Luiz Carlos da Silva Duarte apresentam uma proposta de método para implementação do Programa 3S em uma empresa dividido em duas fases: Fase 1 com a implementação dos sensos de utilização, organização e limpeza e a Fase 2 com os mesmos sensos só que de uma forma mais detalhada. O capítulo mostra que em cada fase há um conjunto de equações e apresentações de resultados com intenção de facilitar a comunicação e a linguagem, pois as empresas que utilizaram o Programa 5S, como uma metodologia para auxiliar na organização de suas operações, obtem resultados positivos.

Em “TRANSMISSÃO E ISOLAMENTO DO SOM QUANTO AO RUÍDO DE IMPACTO” Gabriela Meller, Willian Magalhães de Lourenço, Camila Taciane Rossi e Elaise Gabriel discutem, por meio de uma revisão bibliográfica, o comportamento da transmissão e isolamento do som frente ao ruído de impacto, elucidando, também, a transmissão por ruído aéreo e relacionando esses parâmetros com os sistemas de piso.

A Parte II – Espaço Construído, Planejamento Urbano e Patrimônio é composta por 02 capítulos que abordam memórias afetivas e paisagem urbana. Rosemar de Fátima Vestena em “MEMÓRIAS DA ESCOLA NA QUARTA COLÔNIA DE IMIGRAÇÃO ITALIANA RS, BRASIL” toma como base a presença da escola nas comunidades de imigrantes italianos, no município de Nova Palma, RS, Brasil (ex Núcleo Soturno) da extinta Quarta Colônia Imperial de Imigração italiana de Silveira Martins. O capítulo analisa a origem, a função e a organização da escola dos imigrantes italianos do Núcleo Soturno no período de 1884 até 1945, constatando que no período de estudo, a organização da escola naquela localidade ficou, no princípio à mercê das iniciativas comunitárias e de entidades católicas. Porém em meados do século vinte, o poder público começou a se fazer mais presente na gestão educacional das escolas da região.

No capítulo “PREFERÊNCIA DA PAISAGEM EM PRAÇAS DO CENTRO DE PANAMBI/RS” Samara Simon Christmann Ramlow e Eliane Maria Foleto analisam quatro espaços livres de lazer no Centro de Panambi/RS, por meio da preferência da paisagem – através da valoração de fotografias pela população. O texto evidencia um conjunto de informações sobre as características e percepções das praças abordando a satisfação e valorização destes espaços por parte dos usuários.

Já a Parte III – Gestão Social e Cidadania apresenta 02 capítulos de discutem a cidadania, o lugar e as políticas públicas para idosos. Carina Copatti em “A CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA DESDE O LUGAR DE VIVÊNCIA: PROPOSIÇÕES A PARTIR DA ESCOLA DO CAMPO” relaciona o lugar e a cidadania constituindo um caminho para pensar a educação como possibilidade de repensar modos de vida, de atuação e relação com o/no espaço geográfico em suas múltiplas escalas. O capítulo enfoca o lugar vivido pela experiência em uma escola do campo, propondo um olhar reflexivo com relação a estes temas sob o aporte da geografia escolar.

O texto “CIDADANIA E ENVELHECIMENTO: PERSPECTIVAS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS PARA OS IDOSOS EM SANTANA DO LIVRAMENTO/RS” de Vinícius da Silva Soares, Gabriela Cappellari e Jeferson Luís Lopes Goularte verifica a percepção da efetividade de políticas públicas voltadas ao idoso no município de Santana do Livramento/RS. O capítulo destaca a insuficiência de programas relacionados à profissionalização e mercado de trabalho, em que o principal desafio é a busca por recursos para ampliação das políticas e a conscientização da população a respeito do envelhecimento.

Por fim, a Parte IV – Educação, Ensino e Aprendizagem é composta por dois capítulos que cuidadosamente abordam temáticas relacionadas com a educação, ensino e aprendizagem.

O capítulo “A REFORMA EDUCACIONAL À LUZ DO PENSAMENTO COMPLEXO: UM ENSAIO A PARTIR DE EDGAR MORIN” de Laís Francine Weyh, Celso José Martinazzo e Sidinei Pithan da Silva aponta o pensamento complexo como promotor do desenvolvimento de uma inteligência geral capaz de analisar os fenômenos em sua totalidade, superando o paradigma moderno da simplificação que produz a cegueira do conhecimento. O texto evidencia que a escola torna-se o espaço privilegiado para a promoção da compreensão da complexidade, a partir do conhecimento pertinente e transdisciplinar.

Em “ESTAGIAR E CARTOGRAFAR: UM CONVITE PARA UMA GEOGRAFIA ALÉM DAS EXATIDÕES DO IMPERADOR” Gabriela Dambrós, Leonardo Pinto dos Santos e Victória Sabbado Menezes convidam os professores para se pensar a cartografia e o estágio supervisionado dentro do contexto da formação do professor (a) de Geografia. No capítulo não se fecham parênteses sobre estes temas, mas sim, abre-se espaço para se refletir como é possível ponderar estas questões para além da técnica e do momento prático da formação inicial.

Boa leitura a todos!

Ijuí / RS, 22 de novembro de 2019.

Tarcisio Dorn de Oliveira

Deixe uma resposta