Diálogos plurais

ISBN 978-85-7993-840-5
eISBN 978-85-7993-839-9

Autor/Organizadores: Tarcísio Dorn de Oliveira

APRESENTAÇÃO

A Parte I – Desenvolvimento, Tecnologias e Sustentabilidade é composta por quatro capítulos que abordam temáticas relacionadas ao desenvolvimento regional, tecnologias e sustentabilidade.

O texto “ANÁLISE DE FLUXOS TÉRMICOS PARA SITUAÇÃO DE INVERNO E VERÃO EM HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL NA ZONA BIOCLIMÁTICA 2” de Willian Magalhães de Lourenço, Gabriela Meller, Liliane Bonadiman Buligon e Selton Fernandes promove a análise dos fluxos térmicos de verão e inverno para uma habitação de interesse social – HIS localizada na cidade de Santa Maria / RS, Zona Bioclimática Brasileira 2, propondo soluções de arquitetura bioclimática. Por meio do software EnergyPlus e auxílio da interface gráfica do SketchupMake, o capítulo apresenta simulações termoenergéticas para análise do ambiente mais crítico do ponto de vista térmico.

O artigo “ANÁLISE DO DESEMPENHO TÉRMICO DE TELHADOS BRANCOS: UM ESTUDO VOLTADO PARA APLICAÇÃO EM HABITAÇÕES DE INTERESSE SOCIAL NA CIDADE DE TANGARÁ DA SERRA – MT” de Maiara Silva de Oliveira, Wilson Pereira de Jesus Júnior e Andréia Fernandes da Silva busca investigar a interferência das cores dos telhados na temperatura das habitações, enfatizando o desempenho térmico do telhado branco e sua viabilidade de utilização em habitação de interesse social – HIS na cidade de Tangará da Serra / MT. O capítulo consiste na avaliação de três amostras de telhas: portuguesa de barro, americana marfim e portuguesa pintada com tinta branca – por meio da comparação da temperatura das telhas, o texto busca aferir os custos de implantação de cada tipologia construtiva.

Em “ESTRUTURAÇÃO DE PAVIMENTO DRENANTE COM SUBSTITUIÇÃO DE RCC A ANALISAR O COMPORTAMENTO FÍSICO MECÂNICO”, Ariane Lúcia Oss-Emer, Diego Menegusso Pires, Gabriela Meller e Eduarda Fração Santos apresentam uma revisão bibliográfica dos pavimentos drenantes, abordando conceitos e características dessas estruturas. O texto promove o uso da engenharia como uma ferramenta para o desenvolvimento sustentável, empregando soluções técnicas que podem proporcionar benefícios econômicos e sociais ao meio ambiente.

Paula Scherer e Mariela Camargo Masutti em “O PROJETO EM TEMPO REAL: A INFLUÊNCIA DAS REDES SOCIAIS VIRTUAIS NO DESENVOLVIMENTO DA ARQUITETURA E DO URBANISMO” mostram a possibilidade de veiculação de publicações referentes às mais diversas áreas e serviços, através de perfis criados na internet, além de isso aumentar de forma considerável o nível de divulgação de projetos de design, arquitetura e urbanismo, bem como na intervenção no processo de elaboração e realização do espaço construído contemporâneo.

A Parte II – Espaço Construído, Gestão Social e Cidadania é composta por cinco capítulos que abordam memórias afetivas e paisagem urbana.

O capítulo “A ARTE DA LEITURA E ESCRITA ESCOLAR: UMA PRÁTICA QUE EXERCITA A CIDADANIA” de Ieda Márcia Donati Linck, Viviane Teresinha Biacchi Brust e Maria Aparecida Santana Camargo observa o exercício efetivo da leitura e da escrita, com acompanhamento do professor, nos anos escolares, essencial para que as deficiências da redação sejam superadas e o aluno se sinta um sujeito em pleno exercício da cidadania, incluído no mundo das letras. O texto traduz a falta da leitura como motivo central da ineficiência da escrita, da falta de argumentação, de coerência, bem como pelo descaso com as questões da língua na hora de redigir.

Júlia Calvaitis Padilha e Natalia Hauenstein Eckert no texto “A INSERÇÃO DO PEDESTRE E DO CICLISTA NA VIA URBANA: UMA PROPOSTA PARA UM MUNICÍPIO DE MÉDIO PORTE” salientam que as cidades passam por modificações constantes em sua ocupação territorial, o que normalmente está ligado ao aumento populacional, requerendo uma adequação permanente das redes de infraestrutura para suprir a demanda de serviços. O capítulo traz a mobilidade como tema emergente para as cidades que se preocupam em proporcionar melhor qualidade de vida aos seus usuários, e apresenta uma proposta de requalificação do sistema viário em um determinado ponto da malha urbana de uma cidade de médio porte, sendo que a sua intenção foi a priorização do pedestre e do ciclista como figuras ativas e inseridas no contexto urbano diário.

Em “A PRÁTICA DO RACISMO, DO PRECONCEITO E DISCRIMINAÇÃO: UMA CONSTRUÇÃO DISCURSIVA SÓCIOHISTÓRICA” Ieda Márcia Donati Linck, Thainá Sarturi Rocha e Jessica Socowoski discutem alguns temas polêmicos, relacionados à vida em sociedade, como o racismo, o preconceito e a discriminação – resultados de um discurso que se constitui no e pelo tempo. O capítulo discute tais questões, visando combater essas práticas, consideradas prejudiciais à liberdade, aos direitos e à democracia. Apresenta ainda seus conceitos e desconstrói as bases subjetivas de sua sustentação por meio da exposição de reflexões.

O capítulo “PATRIMÔNIO E CIDADE: A COMPREENSSÃO DO LUGAR ATRAVÉS DA PIAZZA MAGGIORE – BOLOGNA” de Tarcisio Dorn de Oliveira, Helena Copetti Callai e Andrea Quadrado Mussi traz como fio condutor reflexões sobre a preservação do patrimônio e da cidade, tornando possível avançar no sentido de promover leituras e novos entendimentos sobre a compreensão do espaço enquanto possibilidade de instigar a memória, a identidade e o pertencimento aos sujeitos situados em determinada ambiência. O texto aborda o patrimônio de Bologna – Itália, em especial, o expresso na Piazza Maggiore, que representa em uma dimensão física e em escala ampliada, a salvaguarda da memória da cidade.

O texto “RELATO DE EXPERIÊNCIA VOLUNTÁRIA NA CONSTRUÇÃO DE HABITAÇÕES DE EMERGÊNCIA DA ONG TECHO EM OBERÁ/ARGENTINA: UM OLHAR SOB O VIÉS SOCIAL” de Bianca Paveglio Soldatelli, Mylena Teixeira Proença e Mariela Camargo Masutti apresenta a socialização da experiência vivenciada in loco durante a expedição supramencionada, apresentando as fases abrangidas pelo projeto, suas particularidades e os valores de caráter humanísticos edificados durante a ação. O capítulo traz o trabalho realizado pela ONG Techo e sua colaboração direta no desenvolvimento pessoal e profissional, durante a formação de acadêmicos das mais diversas áreas de atuação, em especial as relacionadas com a construção civil, como é o caso dos Cursos de Arquitetura e Urbanismo e Engenharia Civil da Universidade de Cruz Alta.

Por fim, a Parte III – Educação, Ensino e Aprendizagem é composta por dez capítulos que cuidadosamente abordam temáticas relacionadas com a educação, ensino e aprendizagem.

Lauren Slongo Braida em “A COMPREENSÃO DE CURRÍCULO INTEGRADO A PARTIR DA NÃO FRAGMENTAÇÃO DO CONHECIMENTO” reflete sobre questões inerentes ao currículo integrado – conceitos, relações e contribuições de Edgar Morin, bem como a necessidade de uma educação mais libertária e qualitativa. O capítulo entende que o currículo integrado deve prezar por converter em relevantes e significativos os conteúdos culturais,  nfatizando-os nos centros escolares. Essa interligação mostra como a não fragmentação do conteúdo, prezando pelo “todo” e não pelo “específico e delimitado” é fundamental para a aprendizagem e desenvolvimento humano.

O capítulo “A EDUCAÇÃO SOB A ÓTICA DAS TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO” de Vanessa Marin, David Basso, Andrieli Taís Han Rodrigues, Larissa Dalcin e Luciana Stumpf Ristof aborda uma pesquisa teórica-bibliográfica, realizada a partir do estudo das teorias do desenvolvimento, especialmente de Schultz (1967), Rigotto (2005), Demo (2014), Dowbor (1986) e Frigotto (1995). O texto compreende os paradigmas que se estabelecem nessas teorias e como a educação tem sido observada ao longo do percurso histórico do desenvolvimento, considerando sua grande importância no contexto socioeconômico mundial.

Maristela Righi Lang e Taíse Neves Possani no texto “CONCEITOS BÁSICOS PROPOSTOS NA BNCC PARA A LÍNGUA PORTUGUESA NO ENSINO FUNDAMENTAL” abordam a Base Nacional Comum Curricular do Ensino Fundamental (BNCC), aprovada em 2017, que apresenta uma série de conceitos no que tange à Língua Portuguesa (LP). O capítulo analisa a BNCC de LP e destaca conceitos basilares presentes nela, bem como propõe explicações de modo a clareá-los, buscando auxílio em alguns autores como Bakhtin (2011), Marcuschi (2002), Mendes (2018) e Silva e Cardoso (2016).

O texto “CUIDAR E EDUCAR NO BERÇÁRIO: INTERAÇÕES ENTRE PROFESSORES E BEBÊS” de Adriana Teixeira Sant’Ana Müller e Maria Aparecida Santana Camargo pensa a Educação Infantil e, de modo específico, o contexto do berçário. Metodologicamente, o estudo possui caráter qualitativo, com um cunho teórico, embasando-se em Algueró (2017), Barbosa (2010), Haddad (2016) e Papalia e Feldman (2013), dentre outros. O capítulo tem como objetivo investigar a relevância do professor de berçário no desenvolvimento infantil.

O capítulo “EDUCAÇÃO MEDIADA POR TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO: POSSIBILIDADES NO ENSINO E AS NOVAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS” de Ana Marli Bulegon e Valdir Pretto busca compreender os cenários tecnológicos atuais e as possibilidades educacionais desse novo tempo. O estudo foi realizado durante o ano de 2019 e aponta que a tecnologia é uma linguagem a ser dominada para que o aprendiz possa criar, não apenas curtir e compartilhar conteúdo. Ainda explana que, com as inovações tecnológicas, o que caracteriza a educação do século XXI é o desenvolvimento de habilidades e competências como: criatividade, inovação, comunicação, solução de problemas e conhecimentos técnicos.

Vera Lucia Spacil Raddatz e Luciana Klein no texto “EDUCOMUNICAÇÃO: LINGUAGENS E NOVOS SENTIDOS PARA EDUCAR NO SÉCULO XXI” discutem e apresentam a educomunicação como um paradigma para pensar a educação, considerando a importância que as tecnologias de informação e comunicação adquiriram na sociedade, como elementos norteadores de uma cultura da sociedade digital. O capítulo reforça que a escola é a instituição que tem a missão de educar, entretanto, no contexto atual, existem saberes-em-lugar-próprio, advindos de outras esferas que ajudam os sujeitos a compreender o mundo. Salientam, ainda, que a escola precisa se adaptar a essa nova realidade e contribuir para que o estudante se torne o protagonista do processo de aprender e ensinar.

O texto “ESCOLAS E PROFESSORES: A APLICABILIDADE DE METODOLOGIAS DIFERENCIADAS DE ENSINO E A BUSCA POR NOVAS APRENDIZAGENS” de Dieison Prestes da Silveira, Carla Rosane da Silva Tavares Alves e Diego Pascoal Golle analisa as contribuições que a escola, o professor e o uso de metodologias diferenciadas de ensino trazem, no que diz respeito ao ensino e aprendizagem dos alunos. O capítulo observa que os ambientes educacionais inserem sujeitos com ideologias, vivências e experiências diferenciadas. Nesse contexto, o professor, além de ser um mediador, precisa também estimular o desenvolvimento do pensar crítico-reflexivo dos alunos, atentando para as vivências em sociedade.

O capítulo “MÉTODO AVALIATIVO: A CONSTRUÇÃO EPISTEMOLÓGICA A PARTIR DO PROTAGONISMO DISCENTE” de Valdir Pretto, Alana Rodrigues Rigão e Laura Salbego Vidikim apresenta o resultado de um trabalho desenvolvido em sala de aula, com uma turma do sétimo semestre, na disciplina de “Formação Docente e Desenvolvimento Profissional”, do curso de Pedagogia da Universidade Franciscana (UFN) de Santa Maria, RS. No intuito de apresentar um método de avaliação, cujo protagonismo discente prevaleceu em um ambiente de discussão, conhecimento e produtividade, onze acadêmicas participaram dessa ação formativa, demonstrando a importância de métodos avaliativos que contemplem a complexidade do pensamento humano.

Genira Pantz dos Santos e Maria Aparecida Santana Camargo, no texto “O DESENVOLVIMENTO DO SABER INFANTIL VIABILIZADO PELO LÚDICO”, consideram que o lúdico é uma estratégia favorável à aprendizagem e entendem pertinente oportunizar espaços para que a criança desenvolva, plenamente, todos os aspectos cognitivos, emocionais e socioculturais por meio das brincadeiras. O capítulo possui cunho qualitativo e caráter bibliográfico, tendo como principais autores Dantas (2012), Martins, Jung e Silva (2018) e investigam o papel exercido pelo lúdico no processo de ensino-aprendizagem da Educação Infantil.

O artigo “PROCESSOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO SUPERIOR: DIÁLOGOS PEDAGÓGICOS EMBASADOS NA INTERDISCIPLINARIDADE” de Solange Beatriz Billig Garces, Fabiana Ritter Antunes e Pedro Henrique Baiotto Noronha reflete acerca das atuais mudanças que ocorrem nos sistemas de ensino, especialmente na educação superior, em termos da própria organização de suas modalidades (presencial, a distância e hibridização) até o papel e formação do professor universitário. Nesse processo pedagógico, em que a aprendizagem precisa resultar em habilidades e competências necessárias e afetas ao mundo do trabalho e da vida, desenvolvida em uma prática pedagógica diferenciada e por meio de tecnologias e metodologias ativas e inventivas, a interdisciplinaridade é a mudança urgente que se faz extremamente necessária.

Boa leitura a todos!

Ijuí / RS, 03 de fevereiro de 2020.

Tarcisio Dorn de Oliveira

Deixe uma resposta