Semiose verbivocovisual

ISBN 978-85-7993-242-7 [Impresso 2014]
eISBN 978-65-86101-17-1 [Digital 2020]

Autor/Organizadores: Luciane de Paula

APRESENTAÇÃO

O projeto deste livro surgiu junto com o do Vozes Discursivas, em 2011, no GED – Grupo de Estudos Discursivos, por nos darmos conta do quanto muitos participantes do Grupo dedicavam e dedicam suas reflexões à análise de enunciados verbivocovisuais (utilizamos este termo inspirados em Décio Pignatari, que cunha essa expressão ao se voltar à dimensão objetiva da poesia concreta), com o intuito de compreender a sua semiose (a construção de sentidos estruturada linguística e translinguisticamente, como discurso). Daí, inclusive, o título desta obra: Semiose verbivocosivual.

Ao tentarmos reverberar nossas inquietações, pretendemos, de alguma forma, contribuir para as reflexões da área, assim como pensar, junto com alguns dos outros que nos constituem, sobre a pertinência das abordagens teóricas utilizadas para analisarmos esses enunciados, cada vez mais elaborados e condizentes com o nosso tempo.

No processo de devoração antropofágica, degustar e digerir representam o tempo de maturação de uma ideia. Daí, a distância entre a ideia plantada e o fruto colhido, em aparição apenas agora.

Os capítulos que compõem este livro também sofreram mudanças, como os sujeitos que os escreveram, uma vez que o tempo nos fez enxergar os corpora verbivocovisuais como linguagem viva, em jogo, junto conosco, constituídos por (inter)genericidades típicas. Mais que partes que constituem a arquitetura desta obra, cada texto aqui semiotiza reflexões individuais e conjuntas que têm sido tônica do GED.

A obra reúne quinze (15) textos, tanto de membros do GED quanto de pesquisadores colaboradores, parceiros considerados por nós participantes ativos do Grupo. Textos, portanto, que representam algumas das muitas vozes heterogêneas que caracterizam o GED.

Textos vivos, de sujeitos ativos que revelam reflexões teórico-analíticas voltadas ao verbovocovisual filosoficamente. Textos que tecem quem somos no tempo-espaço vivido. Textos-Matrix, simulação de e em linguagem codificada, decodificada e sobrecodificada.

Desejamos que esta seja uma leitura desejosa, desejante, des-jejum. Leitura-escritura-releiturareescritura responsiva que nos une sincreticamente na constituição de linguagem (semiose) verbivocovisual que somos.

Luciane de Paula

Deixe uma resposta