Debates contemporâneos

ISBN: 978-65-86101-33-1
eISBN: 978-65-86101-32-4

Autor/Organizadores: Tarcisio Dorn de Oliveira

APRESENTAÇÃO

A Parte I – Desenvolvimento, Tecnologias e Sustentabilidade é composta por sete capítulos que abordam temáticas relacionadas a propriedades de concretos, caracterização de solos, pavimentos asfálticos, aplicabilidade do aço, gestão da qualidade, gestão do conhecimento, projeto de arranjo físico e processo de montagem.

No texto “ANÁLISE DAS PROPRIEDADES DE CONCRETOS PRODUZIDOS A PARTIR DA SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DO AGLOMERANTE PELA FRAÇÃO FINA DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL” Lidiane da Silva Carvalho, Lucas Fernando Krug e Bruna Carolina Jachinski analisam qual a influência dos resíduos da construção civil (RCC) nas propriedades do concreto com substituição parcial do cimento pela fração fina do RCC – misto passante na peneira de malha 200mm nas proporções de 10% e 20% em massa. O capítulo aborda a incorporação do RCC na produção de concreto e faz referência à uma possibilidade correta de destinação final do RCC, pois diminui a extração de materiais naturais (associando a sustentabilidade), além de incentivar a inovação tecnológica e a busca por materiais alternativos.

O artigo “CARACTERIZAÇÃO DE SOLOS DO NORTE E NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL POR MEIO DA METODOLOGIA MCT” de Vinícius Marcelo de Oliveira Maicá, Taciane Pedrotti Fracaro, Arthur Baggio Pietczak, Mirian Graff e Ricardo Zardin Fengler mostra a classificação de solos através da metodologia MCT, com a pretensão de uso em pavimentos econômicos e promove o mapeamento do solo dos munícipios da Região Norte e Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. O capítulo evidencia que as amostras obtiveram caracterização de solo fino, sendo que, pela Metodologia MCT, obteve-se classificações de areia laterítica, argila laterítica e argila não laterítica, percebendo que nenhuma das amostras possui propriedades recomendadas para uso em pavimentos econômicos de forma natural.

Em “CONCRETO LEVE: UMA REVISÃO DA INFLUÊNCIA DOS AGREGADOS EM SUAS CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS” Isabela Naia Talhacoli, Tarsila Marília de Oliveira, Tiago Fontes de Oliva Costa, Leticia da Costa Moscardini e Daniele Laurini apresentam uma revisão bibliográfica sobre o concreto leve e suas principais características e consequências devido à incorporação de diferentes agregados em mistura. O capítulo aponta que o concreto leve aumenta o isolamento térmico, a resistência ao fogo e reduz o aparecimento de microfissuras provocadas pela temperatura, pois sua resistência a esforços mecânicos depende da matriz da estrutura interna entre os agregados e a argamassa. Ainda reforça que para que se atinja a mesma resistência que o concreto convencional, deve-se aumentar o consumo de cimento no concreto leve.

No texto “CONSIDERAÇÕES SOBRE RETROANÁLISE DE PAVIMENTOS ASFÁLTICOS E EMPREGO DO PROGRAMA BACKMEDINA” Eduarda Fração Santos, Ariane Lúcia Oss-Emer, Diego Menegusso Pires e Gabriela Meller apresentam o programa “BackMedina” para estudos de retroanálise, permitindo a obtenção de parâmetros elásticos de diferentes camadas de um pavimento.

O capítulo aponta que dentre as técnicas que possuem grande importância nos serviços de restauração das rodovias está a retroanálise – procedimento que pode contribuir para a elaboração de projetos mais confiáveis, para pavimentos mais duráveis, representando um ganho de tempo nos projetos e minimizando a coleta de amostras. Ainda lembra que para que os resultados gerados sejam realistas, o operador deve usar sua sensibilidade e não apenas critérios puramente matemáticos.

O artigo “ESTUDO DE CASO: ANÁLISE DA APLICABILIDADE DO AÇO COMO SOLUÇÃO PARA REFORÇO ESTRUTURAL NO ÂMBITO DA CONSTRUÇÃO CIVIL” de Marcos Bressan Guimarães, Vinícius Marcelo de Oliveira Maicá, Diorges Carlos Lopes, Bianca Milena Girardi e Bruna Carolina Jachinski estuda uma edificação térrea autoportante, a qual foi ampliada sem acompanhamento técnico, levando ao comprometimento do funcionamento estrutural – gerando patologias na edificação. O capítulo aponta a solução para a problemática estrutural que optou pela utilização de diferentes perfis metálicos, os quais estabilizaram a estrutura, além de contribuir para um melhor aproveitamento de área útil da edificação.

Sandra Regina Albarello e Luiz Carlos da Silva Duarte em “OS DESAFIOS DA LIDERANÇA EMPRESARIAL: O USO INTEGRADO DOS SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE E DA GESTÃO DO CONHECIMENTO” observam que o crescente aumento no volume de dados e informações disponíveis em uma organização empresarial tem caracterizado um desafio para os líderes empresariais. Imerso nesse emaranhado, o sistema de gestão da qualidade apresenta-se como um recurso para estruturar e dispor essas informações. O capítulo faz alusão ao uso integrado da gestão da qualidade e da gestão do conhecimento tornando possível organizar e disponibilizar este volume de informações no ambiente da empresa. Ainda salienta que os líderes podem adotar os modelos gerenciais da qualidade, de forma que facilitem a criação e o registro do conhecimento nos espaços empresariais.

Em “PROJETO DE ARRANJO FÍSICO EM FUNÇÃO DO PROCESSO DE MONTAGEM EM UMA INDÚSTRIA METALÚRGICA” Alceri Antonio Schlotefeldt e Luiz Carlos da Silva Duarte debatem sobre as constantes alterações nos processos de produção, em especial os arranjos físicos, que tem levado a necessidade de abordar o projeto com suporte de metodologia e de ferramentas consistentes com as necessidades das empresas. O capítulo descreve o processo de produção e classifica os tipos de processo em operação, transporte, inspeção, espera e armazenagem, por meio de um exemplo projetual implantado – o qual permite obter a diminuição de área física ocupada, de movimentação de materiais e pessoas e ainda a obtençao de menor custo de produção.

A Parte II – Espaço Construído, Gestão Social e Cidadania é composta por quatro capítulos que abordam reflexões sobre desempenho térmico, arquitetura de interiores, prática sociocultural, gênero, preconceito e festa popular.

Ieda Marcia Donati Linck, Maria Aparecida Santana Camargo e Giovanna Pantz dos Santos no texto “A ARQUITETURA DE INTERIORES ALIADA À HARMONIZAÇÃO ENERGÉTICA EM BUSCA DE HUMANIZAÇÃO DOS AMBIENTES E BEM-ESTAR SOCIAL” consideram que um ambiente bem elaborado é uma estratégia favorável ao bem-estar social e salientam sua extrema importância no que tange à estadia positiva e saudável dos indivíduos que o ocupam. O capítulo ressalta a importância de implementar o planejamento de interiores, em conjunto com o estudo na harmonização das energias dos ambientes para as construções, a fim de estimular emoções positivas, além de otimizar os espaços para promover maior conforto e bem-estar dos usuários. Os resultados deste estudo certificam que as emoções instantâneas negativas são mais comuns em ambientes sem projeto de interiores e que um bom projeto de interiores, pensado de forma sensível, por um profissional comprometido e ético, com um viés humanístico, contribui à melhora das sensações físicas e emocionais do ser humano, indistintamente.

O texto “AS ATIVIDADES DO ROTARY CLUBE DE TUPANCIRETÃ – RS: CONHECENDO UMA PRÁTICA SOCIOCULTURAL” de Etyane Goulart Soares, Pablo Renan da Silva Londero, Carla Rosane da Silva Tavares Alves, Marcelo Cacinotti Costa e Sirlei de Lourdes Lauxen traz algumas atividades que o Rotary Club da cidade de Tupanciretã, Rio Grande do Sul apresenta e, ainda, sua relevância para o viés social. O capítulo analisa e discute as ações desenvolvidas e sua importância para o meio social, com vistas a contribuir com o desenvolvimento social, crítico e reflexivo dos participantes, bem como da sociedade em geral. Dentre os benefícios incumbidos nesta prática social, cita-se a contribuição no tocante à oratória, gestão de projetos e lideranças, bem como a busca pela resolução de problemas sociais.

Natalia Helena Gallas e Tenile Rieger Piovesan em “AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO TÉRMICO NAS CONDIÇÕES DE INVERNO E VERÃO EM UMA RESIDÊNCIA MULTIFAMILIAR PÓS-OCUPADA EM IJUÍ-RS” avaliam o desempenho térmico de uma residência multifamiliar pós-ocupada no município de Ijuí-RS. O capítulo aponta que a eficiência energética pode ser estudada como aspecto peculiar em cada edificação, pois cada edificação deve apresentar conforto (térmico, visual e acústico) com pequeno gasto de energia, isto é, a eficiência energética é estabelecida pela predisposição do edifício dispor de condições ambientais análogas a outro, demandando pequeno consumo energético.

No artigo “GESTÃO, GÊNERO E PRECONCEITO: OS DESAFIOS E AS ADVERSIDADES ENFRENTADAS PELAS MULHERES NA GESTÃO PÚBLICA DE SANTANA DO LIVRAMENTO/RS” Laura Pereira da Costa, Gabriela Cappellari e Jeferson Luís Lopes Goularte averiguam quais são os desafios e adversidades enfrentados pelas mulheres no ingresso e na ocupação de cargos na gestão pública municipal de Santana do Livramento/RS, por meio de relatos das experiências vividas por mulheres em cargos de liderança no município. O capítulo revela que a presença masculina é predominante nos cargos de poder na gestão municipal e as poucas mulheres que conseguem ocupar estes cargos vivenciam dificuldades.

Leonardo Vinicius Teixeira, Mariela Camargo Masutti e Maria Aparecida Santana Camargo no texto “REFLEXÕES SOBRE A CONSTITUIÇÃO DO CARNAVAL CRUZ-ALTENSE: DO BARRACÃO AO DESFILE” refletem acerca da constituição do Carnaval Cruz-Altense, contextualizando os primeiros relatos de manifestações desta celebração, a chegada da festividade ao Brasil, a evolução, o surgimento das escolas de samba e as características desde um âmbito maior até o local. O capítulo observa o carnaval como uma celebração que movimenta todo o Brasil, sendo considerado uma das festas mais populares e representativas do mundo, o qual, ao longo do tempo, se tornou parte marcante da cultura nacional. Ainda analisam que o festejo popular do país abre um grande filão para o turismo brasileiro, sendo que seu surgimento não apresenta uma data ou um tempo específico na História.

Por fim, a Parte III – Educação, Ensino e Aprendizagem é composta por quatro capítulos que cuidadosamente abordam temáticas relacionadas com às tecnologias de informação e comunicação, educomunicação, processo de ensino-aprendizagem e saberes docentes.

Marijane de Oliveira Soares e Arnaldo Nogaro no texto “AS TIC EM SALA DE AULA: COMO ELAS PODEM POTENCIALIZAR O APRENDIZADO” refletem a respeito de como as tecnologias de informação e comunicação (TIC’s) podem aprimorar a comunicação professor-aluno e gerar avanços no processo de ensino-aprendizagem. O capítulo aponta que as TIC’s são recursos para o desenvolvimento de boas práticas de comunicação entre professor e aluno mudando mentalidades no campo metodológico e didático-pedagógico. Ainda observa que são visíveis e notórios os avanços tecnológicos e de comunicação na vida contemporânea, evidências estas, que apontam para a necessidade de explorar positivamente esses recursos, principalmente no ambiente escolar, melhorando e qualificando os processos de ensino-aprendizagem em todos os níveis da educação.

O texto “EDUCOMUNICAÇÃO E SUSTENTABILIDADE: A FORMAÇÃO DE UM ETHOS SOCIAL EM FAVOR DA RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL” de Antonio Paulo Valim Vega, Noemi Boer e Taís Steffenello Ghisleni apresenta um aporte teórico em torno da midiatização no contexto comunicação/educação. O capítulo analisa os conteúdos nos portais e sites da internet pretendendo identificar de que maneira são expostas as práticas de sustentabilidade e responsabilidade socioambiental nos espaços da rede internet. Além disso, possui um olhar que busca encontrar formas de ampliar a consciência social favorável ao meio ambiente, beneficiar indivíduos e coletividade, educação formal e não formal e dar significado às informações e conhecimento disponíveis no contexto sócioeducativo-comunicacional midiatizado.

Laís Francine Weyh e Cátia Maria Nehring em “O PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO PARADIGMA DA COMUNICAÇÃO INTERSUBJETIVA: PERSPECTIVAS E DESAFIOS” acreditam que é preciso haver uma nova racionalidade na contemporaneidade, pautada na comunicação intersubjetiva, reconhecendo que todos somos sujeitos sociais, dotados de linguagem que nos permite significar o mundo e interagir uns com os outros constituindo nossa própria humanidade. O capítulo considera que a educação deve promover o diálogo entre as diferentes subjetividades, ensinando cada um a ouvir e dizer a sua palavra, de forma a construir coletivamente o conhecimento, criando comunidades de saber que refletem criticamente e com autonomia os objetos e problemas reais do cotidiano.

O artigo “SABERES DOCENTES: UM DEBATE COM PROVOCAÇÕES CONTEMPORÂNEAS” de Dieison Prestes da Silveira, Diego Pascoal Golle, Rosemar de Fátima Vestena e Leonir Lorenzetti aponta, no contexto educacional brasileiro, a discussão de que alunos e professores precisam trocar saberes para construir e fortalecer conhecimentos. O capítulo observa que as atuais dinâmicas que viabilizam conhecimentos e informações, formas de acessá-las e aprofundá-las vêm exigindo cada vez mais a permanente qualificação dos docentes. Ainda reforça que a articulação de diferentes saberes em diferentes espaços formativos, especialmente promovidos em parcerias com o meio acadêmico, permitem que aflorem novos conhecimentos ancorados no saber científico.

Boa leitura a todos!
Ijuí / RS, 27 de março de 2020.
Tarcisio Dorn de Oliveira

Deixe uma resposta