Argila cinza

eISBN: 978-65-5869-020-7

Autor/Organizadores: Alexandre de Brito Alves

Apresentação

Em 2015, após ler o livro “1933 foi um ano ruim”[1] de John Fante, abateu-me o desejo a escrever uma obra de ficção. Entretanto, a falta de tempo e a desorganização do autor impediram tal intento naquela circunstância. Em 2017 iniciei os primeiros rascunhos, riscando papéis, relendo manuscritos e imaginando histórias reais (algumas sem o menor sentido), parecia um Arturo Bendini de “Pergunte ao Pó”,[2] também do autor citado. Todavia, o texto, em meio a riscadas e emperros, foi ganhando contorno e formalismo, ficando “pronto”, finalmente, no final de 2019.

Porém, ilustre leitor, trabalhar ficção para alguém que somente escreveu textos dissertativo-argumentativos foi um grande desafio, entretanto, resolvi caminhar por este trilho. O enredo, em primeira pessoa, conta a história de um adolescente e do trabalho “duro” para viver. Intenciona-se mostrar a dureza dos trabalhos que os pobres realizam para sobreviver em parte da Amazônia. Foca-se no cotidiano e nas interações sociais dos habitantes, em parte desta grande geografia.

Boa leitura!

1 FANTE, John. 1933 foi ano ruim. Porto Alegre: L & PM, 2003.
2 FANTE, John. Pergunte ao Pó. Título original: Ask the Dust. Tradução de Roberto Muggiati. Disponível em . Acesso: em algum dia de 2019.

Deixe uma resposta